Finance

A importância da mobilidade no setor financeiro

Em plena era da transformação digital, tornou-se impossível imaginar uma rotina em que os profissionais tenham que ficar restritos ao ambiente empresarial e aos seus computadores e notebooks corporativos. 

O fato é que, num país em que existe pelo menos um smartphone ativo por habitante, manter os funcionários presos a servidores locais pode ser um grande impedimento ao crescimento da empresa. Sem contar com a frustração dos profissionais de não terem liberdade de trabalhar de outros locais.

Porém, apesar da mobilidade corporativa ser imprescindível nos dias atuais, ela ainda traz muitos desafios que devem ser superados, sobretudo pelas fintechs e demais empresas do setor financeiro. 

A seguir, vamos abordar quais são as principais preocupações em relação ao assunto e mostrar por que adotar uma estratégia de mobilidade é importante. 

Afinal, o que é mobilidade corporativa?

Como diz o próprio nome, mobilidade corporativa é o uso de tecnologia para possibilitar que as atividades do ambiente empresarial possam ser executadas por meio de dispositivos móveis. 

Este tipo de estratégia tornou-se mais comum a partir da popularização da computação em nuvem e das redes 3G e 4G. Dessa forma os usuários de smartphones e outros dispositivos móveis passaram a acessar e enviar dados de aplicativos de quaisquer lugares. 

A mobilidade, além de ter se tornado essencial nas estratégias de crescimento das empresas, ainda proporciona inúmeros outros benefícios, como:

  • Flexibilidade e liberdade de trabalhar de outros ambientes, o que melhora a satisfação dos funcionários e aumenta a produtividade,
  • Eficiência e rapidez na conclusão de tarefas,
  • Melhora no desempenho geral da empresa,
  • Redução de gastos e de tempo com infraestrutura e deslocamentos,
  • Distribuição eficiente de informações e atividades, entre outros.

Já no setor financeiro, a transformação digital, incentivada pelas fintechs, além de proporcionar todas estas vantagens acima, consegue inovar ainda mais. Os aplicativos e meios de pagamento digitais proporcionam muito mais comodidade aos usuários, que não precisam mais se deslocar até as agências para operações financeiras simples como transferências e pagamentos, por exemplo.  

Além disso, num país como o Brasil, em que cerca de 45 milhões de pessoas com mais de 18 anos não possuem nenhum tipo de vínculo bancário, a mobilidade pode ser a melhor forma de alcançá-los. A ideia é que as instituições bancárias criem uma espécie de conta corrente pré-paga, que possibilite pagamentos e transferências digitais sem envolver nenhum tipo de cobrança nem taxa de manutenção.

Mas é claro que, como dissemos acima, o investimento em mobilidade, apesar de estratégia crucial de crescimento e inovação, ainda apresenta uma série de desafios. Vamos discuti-los a seguir.

Principais desafios da mobilidade

Em 2019 a empresa SOTI Inc. conduziu um relatório sobre mobilidade chamado Future Enterprise Mobility Report. De acordo com ele, apesar de fundamental para impulsionar inovação, mudar o comportamento do usuário ou melhorar o gerenciamento de dados, segurança e privacidade ainda são os grandes desafios da mobilidade

Dentre os entrevistados no relatório, 65% das organizações estão investindo em mobilidade. Porém, o mais preocupante é que quase um terço destas empresas acabam permitindo que seus funcionários cumpram suas funções sem a atualização adequada das ferramentas de trabalho, aumentando as chances de vazamento e violação de dados.

Outro dado grave apontado pela pesquisa mostra que 31% dos entrevistados já sofreu algum tipo de violação de dados nos últimos dois anos, e agora mantém a equipe de TI focada em evitar novos ataques. O mais chocante é que 27% das empresas pesquisadas admitiu que atualmente não cumpre os regulamentos nacionais ou globais de proteção de dispositivos móveis, e quando fazem, não sabem se as ações são suficientes.

Para que a adoção da mobilidade seja eficiente nas empresas, sobretudo no setor financeiro, algumas ações devem ser tomadas para que os líderes não tenham que sofrer com os prejuízos do vazamento de dados sensíveis. Veja quais são agora:

1 - Implemente uma cultura de mobilidade

De acordo com o relatório da SOTI Inc., 64% dos líderes entrevistados acha que a cultura no local de trabalho é uma das dificuldades na hora de implementar um projeto de mobilidade. Esta mentalidade despreparada acaba prejudicando não apenas a produtividade dos funcionários como todo o sucesso da operação. 

Assim que os líderes das empresas tomam a decisão de iniciar um novo planejamento, não apenas de mobilidade, mas qualquer projeto de transformação digital, a educação dos colaboradores surge como primeiro passo. 

É necessário mudar a visão e a cultura organizacional de toda a empresa para que a adoção de tendências digitais torne-se a nova mentalidade, e a busca por inovação, eficiência e segurança seja o objetivo de todos.  

2 - Priorize o investimento em segurança

Para colocar a mobilidade no centro da estratégia de inovação da empresa, é necessário entender que violação de dados causa prejuízos não apenas financeiros como também de reputação dos clientes. 

É preciso garantir que as normas de segurança estão sendo seguidas à risca, e para isso, as empresas devem fornecer aos funcionários acesso às atualizações, aplicativos e dispositivos mais recentes, juntamente com uma sólida educação. 

Uma estratégia móvel voltada para o futuro pode levar mais satisfação para funcionários e clientes, além de garantir inúmeras vantagens para toda a empresa, desde que executada com a atenção necessária. 

A GR1D Finance oferece inúmeras APIs que podem facilitar a transformação digital da sua empresa. Acesse o site para entender melhor como funciona o marketplace de APIs ou continue lendo o Trends para se manter atualizado sobre as tendências tecnológicas para o setor financeiro!