Finance

Mercado bancário usa a RPA para otimizar o gerenciamento de empréstimos

O cenário dos empréstimos se torna cada vez mais complexo, com expectativas crescentes de clientes, além de requisitos de conformidade e do uso de novas tecnologias pelos concorrentes. Além de priorizar a transformação digital, fica cada vez mais evidente que as instituições financeiras precisam melhorar a experiência do usuário. Os clientes buscam acesso rápido e contínuo a produtos e serviços para atender às suas necessidades específicas. E eles precisam estar disponíveis onde e quando os consumidores quiserem.

Neste contexto, o desafio das instituições financeiras que oferecem empréstimos é buscar diferentes ferramentas e processos para melhorar a eficiência, oferecer aprovações rápidas e conquistar a fidelidade do cliente.

Para dar conta deste desafio, o mercado financeiro pode usar a Robotic Process Automation (RPA), Automação Robótica de Processos, em português, simplificando e otimizando o fluxo do gerenciamento de empréstimos. Na prática, a automação digital atende às necessidades dos clientes e ajuda as instituições financeiras a melhorar o processo de aprovação de empréstimos, ampliando as oportunidades de crescimento. 

Quer entender melhor o conceito de Automação Robótica de Processos e saber como aplicá-lo com sucesso? Continue lendo esse artigo!


Conceito: definindo o RPA 

A RPA consiste no uso de robôs de software para automatizar diferentes atividades do negócio. Ela facilita o arquivamento de documentos, lembretes de e-mail, notificações de tarefas pendentes, sincronização de dados, entre outras. A tecnologia pode ser integrada às plataformas Enterprise Automation, permitindo assim a criação de fluxos de trabalho e automação dos processos.

A RPA facilita a comunicação entre sistemas diferentes, estabelece um fluxo de dados confiável para qualquer etapa do gerenciamento de empréstimos e ainda oferece benefícios relevantes para auditoria e controle.

Quer saber como isso acontece na prática?

Desde a origem até os processos de subscrição e pós-fechamento, a RPA pode capturar dados de documentos em papel eletronicamente, indexar e encaminhá-los para o sistema apropriado. Assim, tarefas manuais e repetitivas, feitas por profissionais da equipe de operação, passam a ser automatizadas. 

Com isso, os fluxos de trabalho para determinados procedimentos ganham mais velocidade e consistência, viabilizando entregas em um prazo ainda mais enxuto e conveniente para os consumidores. 


Vantagens de usar o RPA

Agora que você já conhece o conceito de Automação Robótica de Processos, veja de que maneira o sistema automatizado de processamento de empréstimos auxilia a instituição financeira, melhorando as entregas para os clientes e a performance da empresa. 

Conheça, a seguir, 4 vantagens proporcionadas pelo uso da RPA:


  1. Adequação a vários regulamentos que estão sempre em constante mudança;
  2. Garantia da responsabilidade da instituição financeira dentro dos processos e subprocessos do gerenciamento de empréstimos;
  3. Busca e organização das informações de diferentes setores da empresa, simplificando essa tarefa e diminuindo o tempo dedicado a ela;
  4. Observância aos critérios de conformidade evitando a exposição ao risco e mitigando possíveis impactos com agilidade.

#3 Dez maneiras de obter vantagem competitiva com RPA

Muito bem! Vantagens conhecidas. A questão central agora é como usar a RPA na jornada de transformação digital e obter vantagem competitiva? A tecnologia pode melhorar muito o fluxo de trabalho interno e, especialmente, a experiência do usuário.

Confira 10 maneiras de explorar a Automação Robótica de Processos a favor do crescimento da instituição financeira:

1. Processos mais rápidos, bem desenhados e mais confiáveis ​​com fluxo de trabalho otimizado pela RPA. Uma plataforma de RPA pode otimizar os processos da instituição financeira, já que permite automatizar tarefas como entrada de dados, atribuições de tarefas ou notificações por e-mail. É possível garantir mais velocidade e assertividade no fluxo de trabalho, o que impacta positivamente na experiência do usuário

 2. Processamento de empréstimo mais rápido. A Automação Robótica de Processos economiza recursos da instituição financeira, já leva à redução de despesas administrativas, diminuição de falhas humanas e agilidade no processamento de empréstimos. Além disso, garante os mesmos benefícios para os clientes. Afinal, eles esperam menos tempo, estão expostos a um risco menor de erros e economizam recursos de deslocamento e tempo, já que o processo é digital. A agilidade no processamento melhora a experiência do usuário

 3. Portais de clientes para solicitantes de empréstimos. A automação corporativa permite às instituições financeiras fornecer aos clientes o acesso a portais de serviços, que podem ser configurados e personalizados da maneira mais adequada para atender às demandas de cada um.  

 4. Visibilidade aprimorada no processo de empréstimo. A automação do fluxo de trabalho torna o processo de gerenciamento de empréstimo eletrônico, facilitando a coleta de dados a cada etapa. Na prática, o uso da RPA leva a empresa a explorar uma série de outras ferramentas da jornada de transformação digital, como um sistema de gerenciamento de documento e a coleta e análise de dados referentes aos processos. As informações se convertem em inteligência de negócio e permitem que a instituição ganhe vantagem sobre a concorrência.

 5. Auditorias de empréstimos simples e fáceis. Ao usar a RPA, a instituição financeira ganha a capacidade de responder rapidamente a riscos e executar futuras diretrizes de conformidade. Diante de uma auditoria será fácil e simples conceder acesso aos auditores, permitindo a visualização dos arquivos e processos eletrônicos, sem incomodar outros membros da equipe.

 6. Assinaturas eletrônicas para processamento mais rápido de empréstimos. Mais um passo importante para diminuir a burocracia do mercado bancário. A RPA permite o uso da assinatura eletrônica, melhorando a experiência do usuário. Assim, ele pode assinar os formulários eletrônicos on-line, sem qualquer dificuldade ou demora. A prática ainda leva à redução de custos de papel e correspondência.

 7. Melhoria na experiência do cliente. A Automação Robótica de Processos oferece ótimos recursos, para garantir uma experiência conveniente e personalizada ao cliente, melhorando sua satisfação. Na prática, as inconsistências e atrasos na coleta manual de dados financeiros e outras informações obrigatórias do cliente podem ser atenuados.

 8. Maior precisão dos dados. Na jornada rumo à transformação digital, a Automação Robótica de Processos assegura maior precisão dos dados. Afinal, é possível eliminar muitas falhas humanas.

 9. Detecção de fraude. Em um sistema automatizado, se torna mais fácil detectar e expor as fraudes com mais eficiência. Certamente, esse processo é mais demorado e difícil quando feito sem a ajuda da tecnologia. 

 10. Garantia de conformidade. O uso da RPA diminui o risco de comprometimento dos dados, o que poderia acontecer com a manipulação das informações do cliente. Com a automação, o risco de não conformidade, comprometimento ou perda de dados é minimizado.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre transformação digital aplicada ao mercado financeiro? Continue acompanhando o Trends.