FinanceFintechs

Os bancos estão tendo um momento Kodak?

Quando as empresas seguem uma estratégia já desenhada, sem levar em conta as mudanças no cenário e os novos desejos e demandas do consumidor, a tendência é que elas percam a força e os clientes. 

É assim também com as instituições financeiras. Para se manterem competitivas no mercado bancário, elas precisam ter velocidade e consistência nas ações. Com suas estruturas impactadas pela transformação digital, os bancos precisam manter um alto potencial de adaptabilidade e inovação focado na importância do cliente. Caso contrário, podem estar fadados à obsolescência.  

Foi isso que aconteceu com a Kodak. Mesmo sendo a pioneira no desenvolvimento da câmera digital, a empresa não acreditava que a fotografia digital iria dominar o mercado. Pautada por essa premissa, a empresa deixou de aproveitar as oportunidades trazidas pela descoberta e escolheu concentrar esforços no cinema. Renunciar à inovação levou a Kodak à falência em 2012.

Neste momento, os bancos estão vendo produtos e serviços inovadores sendo apresentados no mercado bancário. As fintechs têm sido as protagonistas da digitalização dos negócios financeiros. Como elas possuem uma abordagem enxuta, foco em inovação e são alimentadas por capital de risco, as startups financeiras vêm obtendo cada vez mais resultados positivos.

Aos bancos cabe superar o desafio colocado para a Kodak: é hora de aproveitar a tecnologia disponível para inovar e se manter no mercado. 

Quer entender como? Continue lendo este texto! 

Como melhorar a experiência do cliente e impulsionar o crescimento do banco?

Neste cenário, as instituições bancárias precisam desenvolver uma estratégia digital para se destacar no mercado. 

Isso porque à medida que a tecnologia avança, as expectativas dos clientes também mudam. Eles buscam conveniência, praticidade, isenção de tarifas e facilidade nos acessos aos serviços bancários.

Sabendo das demandas e da importância do cliente, as instituições financeiras precisam trabalhar para melhorar a experiência dele, oferecendo produtos inovadores. 

Os modelos de negócios de fintechs são cases de sucessos que podem inspirar os bancos. O Nubank, por exemplo, oferece conta bancária gratuita, isenção de tarifas e cartão de crédito sem anuidade, além de uma série de funcionalidades no aplicativo. É uma solução simples e intuitiva, focada na experiência do cliente, que dá certo e traz ótimos resultados. 

Agora, o crescimento de longo prazo dos bancos depende, essencialmente, de como eles irão melhorar a experiência das pessoas com os serviços bancários.

É a perspectiva de importância do cliente que deve dar o tom para o movimento de transformação digital e inovação. Vale lembrar que esse é um ciclo contínuo: para sobreviver no mercado, a mudança precisa ser uma constante. Atender às novas demandas dos consumidores com rapidez, agilidade e eficiência é fundamental para sobreviver em um mercado competitivo. 

Estrutura enxuta, processos simples e foco na importância do cliente 

Os bancos tradicionais costumam ter uma ampla estrutura, com um grande time de profissionais, muitos processos burocráticos e morosidade nas respostas aos clientes. 

Em contrapartida, os bancos digitais e fintechs mantêm uma operação ágil e independente com uma estrutura enxuta, que permite mudanças com rapidez e baixo impacto. Sem limites geográficos de atuação com potencial de penetrar em novos mercados, as startups financeiras usam tecnologias disruptivas, como cloud computing e integração de APIs, para simplificar e otimizar os processos organizacionais e as entregas para os clientes. 

Para os bancos tradicionais, as histórias de sucesso das fintechs mostram como é possível usar a tecnologia para impulsionar o crescimento do negócio. Mas, certamente, eles podem fazer ainda melhor.

Afinal, não precisam necessariamente mudar toda a sua estrutura. Eles podem se apropriar das novas tecnologias e recursos de maneira sustentável. Como assim? Criando um spin-off do banco digital!

Spin-off: a alternativa para atender às novas demandas e se manter no mercado

Na prática, usar essa estratégia implica escolher um caminho alternativo. Isso quer dizer que, em vez de investir em projetos de TI para atualizar seus sistemas legados, as instituições financeiras tradicionais podem usar o método do spin-off para criar um banco digital independente da organização maior. 

O spin-off nada mais é do que o nome usado para se referir a uma empresa criada a partir de uma outra. Neste modelo, o novo negócio deixa de fazer parte da empresa de origem, parcial ou totalmente. 

O spin-off se consolida como um braço inovador que visa atender a uma demanda específica do setor financeiro, levando em conta a experiência e a importância do cliente

Ao adotar essa estratégia é possível garantir que os esforços sejam voltados para o sucesso do banco digital, evitando conflitos com as necessidades da organização maior. 

Além disso, o spin-off permite que a startup financeira seja independente, de fato, do banco. Afinal, não terá vínculo com os processos herdados nem restrições derivadas deles.

Com uma estrutura enxuta, fica muito mais fácil gerenciar os processos e trabalhar no desenvolvimento de novos produtos e serviços, criados para atender às demandas do mercado.

Spin-off permite manter o foco na importância do cliente e na sustentabilidade do negócio

Certamente, hoje o melhor caminho para os bancos tradicionais é permitir que a cisão com o modelo digital atrapalhe internamente alguns de seus próprios negócios. Pode parecer um tiro no pé, mas é exatamente essa a estratégia que tornará o negócio sustentável ​​a longo prazo. 

Isso porque quando o spin-off for um sucesso, os clientes do banco tradicional poderão migrar para a nova operação. É melhor seguir dessa forma do que perder clientes para os concorrentes.

A Kodak também se viu diante deste dilema e fez a escolha errada. A companhia poderia ter investido na fotografia digital, porém deixou de apostar no novo por medo de prejudicar o negócio de filmes. 

Na verdade, a melhor alternativa teria sido investir na criação de novas soluções digitais, conquistar novos clientes e transferir os antigos para os novos produtos, mantendo seu posicionamento no mercado.

Você pode escolher o melhor caminho agora! As instituições financeiras precisam manter o foco na experiência e na importância do cliente, entregando serviços ágeis, simples e relevantes. 

Infelizmente, investir na melhoria dos sistemas legados não é suficiente. As mudanças no ecossistema financeiro acontecem em um ritmo acelerado e um projeto de sistema legados é incapaz de acompanhar.

Contudo, um spin-off do banco digital é a estratégia perfeita para o planejamento e a gestão de mudanças e inovação. Assim, instituições bancárias podem ganhar a mesma velocidade de operação das startups financeiras. Com um sistema com arquitetura flexível, integração via APIs, parcerias consolidadas e uma visão de longo prazo, os bancos têm condições de começar a garantir seu futuro agora mesmo.

Quer saber mais sobre digitalização dos negócios no mercado bancário e a importância do cliente? Continue acompanhando o Trends!