Finance

Tecnologia para o sistema financeiro: os bancos estão prontos para ficar sem dinheiro?

Alguns fatos históricos têm o poder de acelerar mudanças na sociedade. O desenvolvimento de novas soluções e tecnologia para o mercado financeiro pode ganhar mais velocidade a partir de agora. 

Isso porque a pandemia da COVID-19  levou muitos países a viverem um estado de bloqueio, que reduziu o acesso ao dinheiro. Ao mesmo tempo, pessoas e empresas têm optado por pagamentos digitais e com cartão, sem a manipulação de dinheiro físico. Esse comportamento é motivado, principalmente, pelo medo de contágio do vírus ao tocar superfícies infectadas. Contudo, ele pode se tornar um hábito. 

Aliás, muitos clientes já usavam apenas cartão mesmo antes da pandemia. Essa preferência se tornou mais evidente agora. 

A questão central é: esse poderia ser o fim do dinheiro em nossa sociedade? Os bancos estão prontos para operar sem dinheiro? E os clientes estão preparados: será que todos têm acesso às operações digitais?

Neste post, buscamos compreender o contexto de transformação digital no mercado financeiro e mapear os principais desafios deste momento. Afinal, para inovar na crise é preciso estar atento a uma série de aspectos.

Continue lendo o artigo!

É preciso usar tecnologia para o mercado financeiro e se preparar apenas para pagamentos digitais

Muitas instituições financeiras estão mudando a maneira de fazer negócios e investindo em tecnologia para o mercado financeiro. A estratégia visa atender às demandas dos clientes e viabilizar a digitalização do negócio. Mas não apenas isso.

Eles também precisam fortalecer a estrutura interna para se manterem competitivos frente às ameaças de grandes empresas de tecnologia como Apple e Amazon, que têm acesso a um grande volume de dados de clientes. 

Contudo, para viabilizar a digitalização do negócio, muitos bancos tradicionais precisam superar a complexidade de seus sistemas e infraestruturas de TI legados. Além disso, muitos deles lidam com barreiras culturais, já que os colaboradores temem por seus empregos e são resistentes às mudanças, dificultando o avanço da transformação digital.

Mesmo diante de tantos desafios, o fato é que as instituições financeiras precisam se preparar para os pagamentos digitais e tantas outras iniciativas de inovação. 

Com a proposta de incorporar tecnologia para o mercado financeiro, muitos bancos vêm apostando em parcerias com fintechs. Como são mais ágeis e têm habilidades digitais, elas viabilizam o processo de modernização com a expertise tecnológica, enquanto os bancos tradicionais contribuem com a experiência, a confiança e a reputação da marca. 

Na jornada de transformação digital, os bancos veem os benefícios dos pagamentos digitais

Os bancos que implementaram a tecnologia de pagamentos eletrônicos com sucesso conseguem visualizar os benefícios deste novo processo. As transações são processadas com rapidez a um custo muito menor, com redução de erros. Além disso, as operações eletrônicas exigem um número menor de funcionários.

Sem a necessidade de armazenar e distribuir dinheiro, será possível registrar uma redução no número de agências físicas e caixas eletrônicos, gerando economia em custos de investimentos e manutenção. 

Transformação digital: a tecnologia de hoje é robusta o suficiente para dispensar o uso do dinheiro?

Sem dúvida, essa é uma das questões mais importantes. Afinal, em uma sociedade sem dinheiro, o que aconteceria se uma falha de tecnologia que afetasse os bancos?

Nos últimos três anos, alguns incidentes apontaram essa fragilidade no mercado financeiro. 2018 foi um ano particularmente difícil. Em setembro, por exemplo milhões de clientes dos bancos Barclays, HSBC e TSB não conseguiram acessar suas contas em dias de pagamento.

Em uma sociedade sem dinheiro, esses erros são inaceitáveis.

Portanto, um dos desafios dos bancos é garantir a segurança de seus canais digitais contra fraudadores e a estabilidade de seus sistemas antes que novas tecnologias e atualizações sejam lançadas. À medida que o uso do dinheiro diminui, os sistemas precisam ter a capacidade de lidar com volumes cada vez maiores de transações.

Ao inovar na crise, quem será deixado para trás?

Os pagamentos digitais já foram adotados pelos consumidores com perfis específicos. As gerações mais jovens, os especialistas em tecnologia e aqueles que pertencem às classes mais altas não têm dificuldade no uso deste tipo de recurso. 

Além disso, os lojistas direcionam os clientes para fazer pagamentos com cartão, ajudando a popularizar este tipo de transação.

Contudo, tirar o dinheiro de circulação pode gerar um impacto negativo em vários grupos da sociedade. Clientes que mantêm os gastos usando um orçamento em dinheiro, com dificuldades de aprendizado, que vivem em comunidades mais remotas e com conexão limitada a internet correm o risco de ficar à margem deste sistema. 

A Suécia tornou-se uma sociedade quase sem dinheiro nos últimos anos. Porém, esse movimento levou à exclusão desses grupos do mercado financeiro, gerando problemas sociais. Por isso, em novembro de 2019, o parlamento sueco promulgou uma lei para proteger o acesso ao dinheiro em todo o país.

A experiência sueca mostra que antes de pensar em uma sociedade sem dinheiro, é necessário e oferecer educação e treinamento para grupos da sociedade que atualmente dependem de dinheiro. Além disso, prover o acesso a recursos, como a conectividade, é igualmente essencial.

Tecnologia para o mercado financeiro: há muito trabalho a ser feito

Atualmente, existem várias alternativas viáveis ​​para pagamentos sem dinheiro: com cartão, internet e mobile banking, carteiras digitais, Open Banking e pagamentos feitos em aplicativos. 

Certamente, o Open Banking associado à estratégia de pagamentos instantâneos, traz benefícios claros em relação às transações com cartão, por exemplo. 

Contudo, antes de impulsionar a transformação digital para a construção de um modelo de operação sem dinheiro, os bancos precisam garantir infraestrutura necessária. Os sistemas precisam ser seguros e capazes de suportar os volumes adicionais de pagamentos digitais que serão processados.

Portanto, a melhor estratégia é investir em tecnologia para o mercado financeiro. Sem isso, a sociedade sem dinheiro é inviável. 

Quer saber mais sobre o futuro do segmento bancário? Continue acompanhando o Trends!