Finance

Tendências da segurança da informação no mercado financeiro

O mercado financeiro nem sempre priorizou a busca por inovação e investimentos em tecnologia em seus serviços. Porém, após a ascensão das fintechs, as organizações estão tendo que recuperar o atraso.

Para isso, o investimento em novas tecnologias como inteligência artificial e computação em nuvem está sendo maciço, visando beneficiar os clientes, permanecer competitivo e melhorar os resultados dos negócios.

Porém, ao mesmo tempo em que o setor financeiro e bancário se moderniza, o mesmo acontece com os ataques cibernéticos. Cada nova tecnologia integrada ao mercado financeiro é uma nova possibilidade de invasão e prejuízo.

Segundo a Global Marketing Insights, o mercado de segurança da informação deve exceder US$ 300 bilhões até 2024. Isso nos mostra a enorme e crescente preocupação global acerca do tema.

Neste post, apresentaremos aos CIOs quais os investimentos e tendências mundiais em relação à segurança da informação para que eles fiquem por dentro do assunto e saibam o que esperar e no que investir. Aproveite a leitura!

Segurança da informação no mercado financeiro

O crescente acesso à Internet, somado ao aumento de dispositivos inteligentes e à crescente demanda por serviços de pagamento em tempo real, expõem diariamente empresas do mercado financeiro aos ataques cibernéticos. 

Segundo esta análise da Verizon, 15% das violações de 2019 envolveram organizações de saúde, enquanto 10% delas focaram no setor financeiro e 16% no setor público. Os criminosos têm como alvo crescente as empresas bancárias, de saúde e do setor público por conta do uso e armazenamento de dados financeiros e pessoais.

Dentre os principais prejuízos causados por invasões, podemos citar:

  • Danos e destruição de dados
  • Roubo de dinheiro, propriedade intelectual, dados pessoais e financeiros 
  • Perda de produtividade 
  • Interrupção do curso normal dos negócios e 
  • Danos à reputação 

Ou seja, os ciberataques são uma realidade ainda maior para empresas do mercado financeiro, e os prejuízos são tão grandes que podem levar muitas delas à falência. 

Mas para que tudo isto seja minimizado ao máximo, vamos mostrar as principais tendências em segurança da informação que estão sendo empregadas atualmente ou serão empregadas num futuro próximo.

Tendências da segurança da informação no mercado financeiro

Mesmo antes da revolução digital, o mercado financeiro esteve na vanguarda da segurança da informação. Isto porque as empresas deste setor unem dinheiro e dados pessoais em suas atividades, o que os torna principais alvos de crimes cibernéticos.  

Por conta disso, a constante ameaça de perdas financeiras, consequências regulatórias e danos à reputação levam as instituições financeiras a buscar inovação e acelerar o investimento em segurança da informação.

Acompanhe agora as principais preocupações do mercado financeiro e as respectivas tendências de segurança da informação:  

# 1 - A detecção de fraudes exige uma compreensão mais profunda do risco

Em 2019 muitos bancos enfrentaram problemas ao lidar com padrões desconhecidos e complexos de fraude, como trojans de mobile banking, roubo de identidade, fraude autorizada por pagamento por push, entre outros. Essas ameaças mostraram que tanto instituições quanto consumidores ainda desconhecem inúmeros riscos potenciais.

Para minimizá-los, é necessário continuar desenvolvendo suas soluções de monitoramento de fraudes. O foco deve estar na coleta de informações sobre a jornada digital do cliente, análise de comportamento no dispositivo, monitoramento contínuo de sessões entre canais e dispositivos e no fornecimento de conhecimentos antifraude. 

Essas práticas de segurança criam um grande entendimento sobre cada risco e permitem que as instituições criem medidas de segurança adequadas sem comprometer a experiência do usuário.

# 2 - Open Banking exige novos métodos de segurança

Até agora, os bancos tinham controle total da jornada do consumidor, mas o Open Banking tem causado forte impacto no todo o mundo. Com a possibilidade de os clientes poderem consumir serviços bancários por meio de aplicativos de terceiros, suas jornadas acabam ficando fora do controle do banco. 

Por conta disso, novos métodos de segurança acabam sendo exigidos, e o monitoramento de fraudes com aprendizado de máquina terá um grande papel. 

Esta tecnologia ajudará a entender o comportamento normal do cliente. Além disso, essas informações, combinadas com os parâmetros sobre a segurança do dispositivo do usuário, podem permitir que as soluções de monitoramento de fraude sejam sinalizadas quando o comportamento de um usuário tornar-se suspeito. 

# 3 - Maior controle sobre os serviços de terceiros

Outra área importante para as preocupações de segurança da informação no setor bancário é o monitoramento de terceiros e suas práticas. Se os bancos perderem o controle, poderão deixar sua infraestrutura crítica exposta a ameaças, já que a ação de terceiros, por si só, fragmenta seus ambientes de segurança. 

A expectativa é que, a partir de agora, as equipes de segurança bancária se esforcem para obter visibilidade de toda infraestrutura. Ou seja, as instituições deverão examinar cuidadosamente suas APIs e melhorar suas arquiteturas de segurança para entenderem melhor os possíveis riscos de terceiros, fundamentais para se manter competitivo no cenário atual.

# 4 - Lançamento das redes 5G e maior adoção da Internet das Coisas 

Em 2020, a expectativa é de que as redes 5G sejam lançadas e mostrem seu potencial para todos os setores, incluindo o setor de serviços financeiros. Além disso, é provável que o uso da Internet das Coisas (IoT) nos dispositivos móveis aumente consideravelmente. 

Porém, ao conectar estes dispositivos na internet, a vulnerabilidade da rede a ataques cibernéticos acaba aumentando muito. Os dispositivos IoT e suas conexões com as redes ainda são os elos fracos nessas implementações. Em outras palavras, o crescente valor dos dados pessoais processados ​​por esses dispositivos precisará de segurança contra possíveis violações.

A partir de agora, os bancos deverão adotar uma abordagem holística de segurança da informação para combinar controles tradicionais e novos e proteger a crescente rede da IoT em todo o setor.

Ao mesmo tempo em que as instituições financeiras buscam parcerias e inovação e passam a oferecer seus serviços em novas plataformas, como dispositivos móveis e IoT, aumentam consideravelmente sua vulnerabilidade.

Ou seja, investir e manter novas medidas de segurança da informação virou palavra de ordem para quem quer manter os dados dos clientes seguros e evitar serem vítimas de uma enorme perda de recursos e reputação.

Para mais novidades e conteúdos sobre inovação no mercado financeiro, acesse  Trends da GR1D Finance!